Viajar para os EUA na pandemia: nossa experiência

Estávamos com viagem marcada para os EUA, com a esperança de que as fronteiras abrissem para nós, brasileiros. Até que a situação brasileira (poucos vacinados) fez com que agilizássemos nosso planos de viajar para os EUA na pandemia.

E a solução foi fazer a tal quarentena em um país cuja fronteira estivesse livre com os EUA. Escolhemos o Panamá. E neste artigo você vai descobrir como foi nossa experiência. Vamos comigo?

Chegada no Aeroporto

Ao embarcar para a cidade do Panamá tivemos de realizar o PCR (exame que ficassem pronto em 24h). E ao desembarcar na cidade era obrigatório a realização de um novo exame.

O Aeroporto da cidade é bem famosinho, tido como uma mega construção. Entretanto demoramos bastante a encontrar as informações e destinos corretamente lá.

Assim que saímos do avião fomos fazer os exames de COVID, após isso realizar todo o processo na imigração e polícia federal e só então fomos encaminhados para aguardar o transporte para o hotel do confinamento e permanecer pro três dias lá.

Após o desembarque, permanecemos no aeroporto por cerca de 2-3h.

VOCÊ PODE GOSTAR

VIAGEM COM CRIANÇAS PARA NOVA YORK

PASSEIO NO LAGO COM A FAMÍLIA (LAGO CORUMBÁ IV)

HOT PARK EM CALDAS: VOCÊ PRECISA IR!

IMPERDÍVEL: NORDESDE BRASILEIRO

A quarentena obrigatória

Saímos do Aeroporto em uma van com outras pessoas de diversas origens. Eu ainda mal sabia pra que lado ficava o famoso canal do Panamá.

Mal sabia ele que a hospedagem obrigatória seria exatamente próxima à ele. Na verdade era um resort (Gamboa Reserve) que naquele momento estava a serviço do governo panamenho.

E após quase uma hora de trajeto de carro, chegamos ao hotel. Assustei demais inicialmente. Pasmem ou não, havia policias na entrada do mesmo.

Logo formou-se fila para entrar e acomodar os estrangeiros em cada quarto. Neste momento já era quase 11h e ainda nem havíamos tomado café da manhã (exceto o sanduíche ás 5h da manhã no avião).

Chegou a nossa vez na fila, finalmente. Então recebemos o kit café da manhã (eram três), e entramos para o quarto! E que quarto! Confira aí no tour que fiz com meu filho!

Não era apenas um quarto, era um duplex. Uma mega suíte com outra suíte no segundo pavimento e uma sacada com uma vista maravilhosa!

Depois disso, notei algo interessante. O piso estava “pregando”. E estava assim tamanha umidade do local. Chuvas lá eram intensas e diárias. E o ar condicionado, ligado constantemente.

A alimentação era razoável. O problema é que era regrado. Para quem come pouca quantidade, tranquilo. E havia alimentos bem diferentes tanto na preparação quanto em outras questões….O arroz panamenho por exemplo era terrível. E por lá usa muito pimentão como tempero em quase tudo (o que não é ruim).

Confesso que era desanimador estar em um local tão lindo, com trilhas, área de lazer, piscinas e não poder sair do quarto!

O fim do confinamento

O fim do confinamento se deu após 3 dias. E para isso realizamos novamente um exame de COVID e aguardamos o resultado dele. Caso desse negativo, estaríamos livres.

E após isso tivemos de chamar um táxi para ir finalmente até o apartamento que alugamos. E finalmente aguardar mais 12 dias até nosso embarque para os EUA.

Ao menos foi possível conhecer um pouco a cidade, passear mesmo que com todo artefacto para prevenção da COVID.

Não alugamos carro. Utilizamos bastante o serviço de uber na cidade. Cozinhamos no apartamento também.

Embora pareça uma cidade sem graça, a cidade do Panamá tem suas virtudes. É uma cidade bonita e com um custo de vida aparentemente barato.

Passeamos em diversos shoppings lá….e acredite, achei os preços de lá melhores que o dos EUA, já que ambos comercializam o dólar como moeda.

Entretanto, a mão de obra e empregos disponíveis no Panamá não é como nos EUA. Daí o salário dos empregados é baixo.

Viajar para os EUA na Pandemia

Finalmente chegou nosso embarque para o destino final. E por estar em meio a uma pandemia, imaginei encontrar maiores dificuldade me relação à isso no Aeroporto de Miami. O que não ocorreu.

Foi tudo super rápido e não foi preciso passar por novos exames de COVID, ufa né!

Espero que quando você for viajar para os EUA na pandemia, as fronteiras com pessoas que tenham passado pelo Brasil estejam abertas para que você não esperar tanto né.

Mas caso isso ainda não tenha acontecido, pense na possibilidade de passar 15 dias em outro país como o Panamá ou México. Pode ser interessante fazer a viagem ficar do tipo 2 em 1.

Compartilhe este artigo, sei que será muito útil para quem ama viajar!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.