Previna-se contra a depressão pós-parto: Entenda o que é e como agir!

Os medos que acompanham o pós-parto

O  pós parto não é considerado pela nossa cultura como deveria. O conceito que conhecemos vem da época colonial, uma ideia de quarentena, de resguardo. Uma construção patriarcal que permitia que as mulheres não fossem procuradas pelos maridos.

Entretanto, os medos que acompanham o pós parto ultrapassam a questão biológica do desequilíbrio hormonal.

A adaptação necessária não se resume à chegada do bebê tão esperado e anunciado. Ao contrário, a identidade da mulher que agora se tornou mãe agora está em construção. 

E agora este processo mexerá de forma drástica com sua história, como a forma que ela enxerga a vida como projeção do futuro e ainda como passado, como filha. Afim de prevenir quaisquer temores que possam surgir neste momento, muitas mulheres optam por fazer um curso para gestante. Informação é sempre a chave de tudo!

MAIS SOBRE O ASSUNTO:

VOCÊ SABE O QUE É VIOLÊNCIA NO PARTO? 

VEJA O QUE É PLANO DE PARTO E PORQUE VOCÊ VAI PRECISAR DE UM!

PORQUE MUITAS MULHERES TEM OPTADO TER UM PARTO NATURAL EM MATERNIDADE PÚBLICA?

RELATO DE PARTO: NASCIMENTO DO MEU FILHO ESTEVÃO (parto natural hospitalar)

GUIA DE COMO ESCOLHER ENTRE O PARTO NORMAL OU CESÁREA!

Nasceu!

Quando fazemos menção ao nível de modificações que a vida de uma recém-mãe enfrenta, muitas pessoas que estão fora do círculo de amizade desta mulher que se tornou mãe não consegue reconhecer a profundidade deste nível.

O psicólogo Alexandre Coimbra, diz no Portal Lunetas que quando a mulher tem um bebê, ela descobre que fez um compromisso com a eternidade. E nesta afirmação há muitas entrelinhas que poucos conseguem desvendar.

Os medos que acompanham o pós-parto

A começar o processo de luto ao despedir-se da mulher que era livre e sem filhos e agora tem um pequeno ser que depende quase que exclusivamente dela.

O luto 

Este processo de “luto” é enfrentado com naturalidade talvez pela maioria, mas a realidade não é bem assim. O luto é quando a “ficha cai” que eu não vou dormir como antes. Não vou sair a noite sempre que tiver vontade, ou ainda minha vida terá certos limites que antes de ser mãe não tinha.

Fui demitida após ser mãe - mãe

E a partir daí sinto saudade da vida de antes. E os medos que acompanham o pós parto começam a aparecer. Medo de não conseguir dormir mais, de não namorar em paz e etc.

Mundo-bebê

No período do pós parto ou puerpério, as recém-mamães só conseguem pensar no bebê que acabou de nascer, mas ao mesmo tempo elas tem a sensação de enlouquecer, de perder a identificação, de não conseguir suprir as próprias expectativas (vou conseguir ser mãe e profissional por exemplo), de terem perdido a capacidade intelectual, de não conseguir tomar certas decisões que antes da gravidez eram rotineiras e enfim, tudo fica incômodo, tudo é motivo para choro. E tudo se resume ao mundo-bebê, pois elas estão fora do mundo.

O amor não é instantâneo

O vínculo afetivo entre mãe e filho não é automático, mas é como se precisasse ser, já que ao nascer a recém-mamãe já o coloca em prioridade máxima em sua vida, apesar do medo extremo que isso significa.

É necessário que a mulher se “autorize” a amar o filho, já que o amor se constrói dia após dia. A amamentação contribui bastante nesta construção. Aliás ela tem um papel fundamental para minimizar a separação que ocorreu no parto (entre mãe e filho).

Os medos que acompanham o pós-parto

Depressão pós-parto

Há teóricos que alegam que a amamentação é uma proteção contra depressão. Dentre os medos que acompanham o pós parto, talvez a depressão seja o mais temido. É importante não confundir a depressão com puerpério.

É natural sentir raiva da demanda do bebê, de levantar infinitas vezes a noite. Mas se isso durar muito tempo e a mãe não conseguir reconectar de modo amoroso ao bebê e isso se tornar um padrão, a ponto da mãe não querer estar com bebê, não querer nutri-lo e ainda se sentir incapaz de cuidar do filho, algo precisa ser feito, procure ajuda. 

É comum a mulher se sentir exausta após o parto. Pode estar relacionada à adaptação com a nova rotina ou privação de sono.

Existe associações entre fadiga extrema e depressão pós-parto, mas é difícil distinguir. Cuide da privação do sono inicialmente, já que esta pode contribuir para que você se sinta deprimida, e aí sim dificultando o seu sono.

Dicas para tornar este momento o mais tranquilo possível:

  • Planeje tudo o que puder antes do bebê nascer e aceite ajuda externa na administração da casa;
  • Durma enquanto o bebê estiver dormindo;
  • Beba muita água, amamentação provoca sede;

Os medos que acompanham o pós-parto

Preparando para o pós-parto

É durante a gravidez que nos preparamos para a vida de mãe que enfrentaremos pela frente. E é aí que devemos incluir a preparação para a própria gravidez, o parto e o pós parto em si. Aliás, infelizmente esta última fase que citei tem sido negligenciada.

Leia bastante sobre estes assuntos antes de estar na vivência deles. Faça um curso para gestante online, se optar por praticidade, mas não negligencie você mesma e seu bebê! Passe por este momento da melhor forma possível, pois isso só depende de você!

Compartilhe esta informação (que é muito valiosa!) com a futura mamãe que você conhece! 😘

10 comentários em “Previna-se contra a depressão pós-parto: Entenda o que é e como agir!”

  1. Pingback: Depressão pós-parto, o que fazer? - Âmbar Original

  2. Marília Tannuri Verni

    Parabéns pelo artigo. É importante que as pessoas saibam sobre todo o processo do puerpério e as dificuldades enfrentadas por uma recém mãe.

  3. É muito bom ver post assim bem informativos. As pessoas precisam ler e entender que é apenas um período. Que passa mas é preciso estar dando o suporte necessário, isso se chama puerpério.

  4. Pingback: Tudo que uma mamãe de primeira viagem precisa saber em um manual completo!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.