Adolescência dos bebês: Descubra de onde vem a birra infantil?

Birra Infantil

Essa pergunta só me interessou de fato após o Estevão completar os dois anos. Notei tanta diferença naquele lindo e perfeito bebê que decidi ler, pesquisar e questionar bastante esta idade. Conhecida também como a adolescência dos bebês (fase de início da birra infantil).

Daí eu entendi que o bebê calmo, sonolento e “obediente” às expectativas de todos inclusive à da própria mãe, estavam com os dias contados.

Sim, ao completar dois anos, tudo muda. É como se outra pessoa se encarnasse no seu bebê.

Como ela surge?

O bebê na idade de dois anos, já se vê como outra pessoa, um ser independente de todos, principalmente da mãe!

Com isso, a criança já sabe demonstrar suas vontades, falando mais (por mais que ninguém entenda). Ele se comunica de muitas formas através de birras, choros e bravezas.

Adolescência dos bebês, como lidar com a birra infantil

Esta fase conhecida como “terríveis dois anos” (terrible two, início da birra infantil) . E não tem data certa para iniciar e nem para acabar. Inicia-se aproximadamente aos dois anos e conclui-se aproximadamente aos quatro anos de idade.

É nesta época que os pais devem iniciar de fato as práticas de educação mais firmes, mostrando à criança que toda ação, tem uma reação.

birra infantil (2)

Isso exige muita paciência. Não obstante, muita conversa, muitos momentos lúdicos para enfrentar altas tensões na hora do banho ou até mesmo hora de dormir ou comer.

Como lidar com a birra infantil

Nesta idade é bastante comum a criança aprender a dizer o famoso “não” em alto em bom som à qualquer solicitação dos pais. Aqui o “não” tem som de “u” bem agudo no final!

É cansativo viver diariamente assim, mas o pensamento de que “vai passar”, gera certo alívio.

VEJA 4 MÉTODOS PARA LIDAR COM A BIRRA INFANTIl

birra infantil (1)

Não foram uma nem duas vezes que me arrependi do modo que reagi diante de birras infantis que meu filho teve.

Aprendi que muitas vezes, o fato de estarmos calmas, pacientes e tranquilas diante dos momentos tensos das crianças, traz mais eficácia na solução do problema de birra, choro ou até mesmo crises comuns nesta faixa etária.

Lembra-se do desenho do Daniel Tigre? Muitas situações diárias podem ser solucionadas como naquele desenho.

Um grande exemplo, é que o Estêvão está aprendendo que sempre que precisar ao banheiro, precisa parar o que estiver fazendo e ir.

Eis um exemplo magnifico que acaba nos ajudando a lidar com os desafios diários que só conhece quem tem um terrible two em casa.

É interessante (até poderia dizer imprescindível) seguir uma linha, um direcionamento para educar a criança.

E assim induzir ela a obedecer ao responsável de um modo saudável. Há vários direcionamentos, bibliografias e até mesmo leituras informais sobre este assunto.

Creio que o que não vale, é achar que toda criança faz birra, e o jeito que eu educo meu filho é melhor que o seu! Obviamente, a criança na fase de dois anos precisa de empatia. Já ouviu falar? Algo que os adultos pouco cultivam.

birra infantil (3)

Birra infantil = período de transformação

Gosto de me referir à fase dos terríveis dois anos, como a fase da adolescência dos bebês. Já observou que a adolescência é momento de transformação.

Em ambos os momentos, quando bebê e quando criança, é nesta época que acontece transformações.

A primeira adolescência, o bebê está se transformando em criança. E na segunda, em um adulto.

E é na adolescência dos bebês que o ser humano adquire algo bastante marcante e especialmente único em todos os seres vivos: a comunicação.

A adolescência é época de se confirmar o que foi ensinado na infância

É interessante pensar que em ambas as situações novas criaturas surgem. O bebê que antes era calmo e passivo, de repente mostra-se inquieto e cheio de vontades.

A criança falante se mostra tímida e mais reservada na fase adulta. Muitos adultos sofrem justamente por não terem sido bem assistidos durante a fase da adolescência dos bebês.

O que é a adolescência

Já observou que muitos adultos tem problemas de relacionamento devido a falta de comunicação? Tudo começa no começo.

Se a criança não é amparada, respeitada e bem assistida na primeira adolescência (fase em que adquire a comunicação, começa a falar) certamente terá problemas futuros.

Não tenha dúvidas de que ela vai enfrentar dificuldades na fase adulta, já que após a primeira etapa de transformação, haverá outra adolescência (a que conhecemos, por volta dos 12-15 anos).

Birra

Finalmente, quando compreendemos as reais definições destas importantes fases da vida, a convivência entre as partes (pais e filhos) é facilitada.

Consequentemente, isso traz mais amparo e soluções, propiciando até mesmo o amor entre ambos.

Então, como você lida com a birra infantil do seu filho? Vamos conversar? Conte nos comentários!

Inscreva-se AGORA para receber boletins, brindes e descontos exclusivos!

Hellen Xavier Manso

Sou a Hellen, esposa, mãe do Estêvão de 6 anos, dona-de-casa, arquiteta de formação e blogueira por paixão. O blog "integralmente Mãe" nasceu assim que fui demitida (após ser mãe)!! E meu objetivo é gerar conhecimentos através do marketing digital para instigar você a viver com mais liberdade! Liberdade que se traduz em viver a maternidade sem culpa, a conquistar uma vida profissional de sucesso e livre de estereótipos e muito mais! Vem comigo!

Website: https://www.integralmentemae.com

11 Comentários

  1. Fernanda

    Oii! Primeiro parabéns pelo post muito bem feito! ❤
    Concordo com o você disse sobre “ser a adolescência do bebe” rs’ é preciso muita paciência nesse período
    Beijoos

    Meu Blog

  2. Olá Hellen! Me chamo Mercedes e sou mãe de dois lindos filhos, Felipe (35) e Aline (31). Hoje já sou avó de Arthur (19 m – do meu filho) e posso te dizer o quanto é maravilhoso ser Mãe e mais ainda ser avó. Digo mais ainda, pelo fato de sabermos tanto e agora podermos vivenciar este momento sem tantos medos. A experiência vivida traz-nos certa paz e segurança , mas eu bem sei, q compartilhar conhecimentos aumenta ainda nossa bagagem; por isso quero te agradecer por seu post. Adorei aprender mais sobre a “adolescência dos bebês”, não conhecia o termo. Achei o mesmo muito bem escolhido (por quem o escolheu), transmitindo exatamente o que nossos pequenos sentem nesta fase da vida. Não é fácil crescer e lidar com tantas descobertas e para as mães (especialmente as “marinheiras de primeira viagem” – ahh como me lembro das dificuldades que passei sozinha longe das famílias) este também é um momento por vezes confuso, sem nos esquecermos dos “papais” (eles também sentem angústia, mas nem sempre, sabem falar sobre isso como nós mulheres).
    A vida é um eterno aprendizado e como agora sou avó, quero aprender ainda mais, para poder oferecer ajuda e estar sempre presente na vida de Arthur e tantos mais netos, que vierem. Gostaria de ter muitos!😍Estou amando ser avó e me realizando nesta nova fase de minha vida. Muito feliz!…. serei uma eterna aprendiz e também adoro compartilhar. Bj carinhoso.

    🦋 ❤OBRIGADA❤🦋

    • Amei sua presença ! Que bom que o artigo lhe foi útil! Sabe, um avó como você, que busca por conhecimento e leitura é uma preciosidade! Informação nunca é demais mesmo não é! Parabéns por ser a vovó carinhosa e sábia que tenho certeza que é! Um beijo para você! E obrigada pela audiência! volte sempre!

  3. Pingback: Marcos do Desenvolvimento Infantil de 3 a 5 anos. O que esperar?

  4. Thalyta Boudoux

    Gostei muito do seu post. Eu também não conhecia o termo utilizado “adolescência infantil” mas concordo com tudo que você falou. Minha filha tem dois anos, fará três em setembro, já fala não, sabe o que quer e o que não quer, com esse período da quarentena que estamos vivendo, tô ensinando o que posso, ela já sabe as cores e ama a cor azul rsrs, agora estou ensinando as vogais, ela já conhece a vogal A. Logo logo saberá as outras rsrs, ela não é muito birrenta não, mas quando quer ser saí de baixo rsrsrs, seu post foi muito bom obrigada por dividir com a gente.

  5. Luciene

    Estou nessa fase Estou pra ficar maluca a palavra Não está na boca da minha filha direito

  6. Maria Cordeiro

    Nossa como me ajudou o seu posto minha filha acabou de completar 2 aninhos e ela tá realmente assim sabe diferente ,grita em alto e bom som o “não” mas agora tô começando a intender o q tá acontecendo q alívio 👍❤️

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.